A interação entre crianças em atividades matemáticas como favorecedora da inclusão escolar

  • Maria do Carmo Lobato daSilva
  • Flávia Caroline Maciel Conceição
  • Édpo Felipe da Silva Ferreira

Resumo





A concepção de educação inclusiva defendida nesta pesquisa parte dos pressupostos teóricos de Vygotski que consideram o desenvolvimento culturaldecriançascomdeficiêncianãoexclusivamentevinculadasafatores orgânicos, mas sua aprendizagem e desenvolvimento ocorrem a partir da interação com o meio sociocultural. O objetivo foi analisar a interação de crianças comuns e uma criança com síndrome de Down no contexto da sala de aula regular, e como a interação possibilita o acesso aos conhecimentos matemáticos. Participaram desta pesquisa oito alunos comuns e uma aluna com síndrome de Down. Foram realizadas observações participantes no contexto da sala de aula, e por fim realizaram-se formações de díades com aplicação de atividades adaptadas de matemática. Os resultados indicaram que apesar das escolas ainda estarem baseadas em um modelo de ensino e aprendizagem homogêneo e meritocrático a inserção de alunos com síndrome de Down no ensino regular é benéfica quando se constatou a ocorrência de relações interativas e cooperativas entre díades de alunos ao resolver atividades matemáticas adaptadas.





Publicado
Nov 6, 2018
##submission.howToCite##
LOBATO DASILVA, Maria do Carmo; MACIEL CONCEIÇÃO, Flávia Caroline; DA SILVA FERREIRA, Édpo Felipe. A interação entre crianças em atividades matemáticas como favorecedora da inclusão escolar. Estudos Interdisciplinares em Educação, [S.l.], v. 1, n. 4, nov. 2018. ISSN 2594-7567. Disponível em: <http://unifatea.com.br/seer3/index.php/EIE/article/view/932>. Acesso em: 18 jul. 2019.