Entre sociabilidades: entornos sobre o cotidiano fotográfico e escolar

  • Luiz Antonio Feliciano Feliciano
  • Dirce Djanira Pacheco e Zan e Zan

Resumo

Este trabalho procura traçar um paralelo entre a sociabilidade que nasce na escola e a sociabilidade inerente à fotografia. A escola, como uma instituição social secular, traz consigo uma estrutura que a orga- niza. No entanto, as relações sociais no seu interior se moldam a par- tir de especificidades particulares. Cada grupo, na vivência entre seus pares, encontra rearranjos singulares para cada situação. São os pe- quenos nódulos que, de certa maneira, sustentam a estrutura norma- tizada e arbitrária. Por vezes, esses nós se apresentam, ainda, como contraponto às normas instituídas. Igualmente à escola, a fotografia carrega essas diferentes estruturas. Uma superior que a instituciona- liza e outra, inferior, que se contrapõe. Se aquela corrobora com a ma- nutenção da norma imposta verticalmente, esta se configura na ho- rizontalidade da prática cotidiana. Nesse sentido, o fazer fotográfico pode oferecer elementos para problematizar as relações sociais do jovem dentro e fora da escola. A reflexão que se propõe perpassa al- gumas temáticas que, na mesma medida, se atravessam e se tangen- ciam: a estrutura da (e na) escola; as sociabilidades entre pares; a fo- tografia e a tecnologia; o cotidiano e seus múltiplos movimentos. De certo modo, todos esses percursos se perpassam com suas singulari- dades e suas complementaridades e seus tangenciamentos. Costurar algumas de suas amarras é a proposta desse artigo.

Publicado
2019-11-13