As Revistas de Rádio no Brasil: décadas de 1920 a 1950

  • Antonio Adami Universidade Paulista - UNIP
  • Lucia C. M. Dias Universidade Paulista - UNIP

Resumo

As revistas de rádio foram criadas no Brasil na década de 1920, simultaneamente ao surgimento das primeiras emissões radiofônicas. Tais publicações pretendiam inicialmente satisfazer o interesse informativo dos primeiros aficionados do rádio, e seu conteúdo editorial apresentava principalmente assuntos relacionados à radiodifusão, de cunho técnico e científico e, posteriormente, se tornaram um apoio muito forte às emissoras de Rádio. Na década de 1930, com a evolução do rádio como veículo de comunicação de massa, o crescimento das emissoras no Brasil e a autorização da propaganda radiofônica pelo Presidente Getúlio Vargas, as revistas receberam maior investimento e passaram a ter relevância como representantes da cultura, por meio da exposição da produção musical do Brasil, evidenciando os artistas do meio radiofônico, em especial cantoras e cantores que se tornavam celebridades na época. Grande parte do conteúdo editorial destas revistas apresentava em suas colunas e seções textos com viés espetacular, de um lado valorizando a carreira artística dos profissionais e de outro tecendo comentários maledicentes sobre sua vida particular e pública. Visando contribuir com os estudos sobre as revistas de Rádio brasileiras, este artigo oferece um panorama da história destas publicações entre os anos 1920 e 1950, apresentando as mudanças das propostas editoriais das mesmas, onde se inicia a temática da Espetacularização, hoje tão difundida nos diferentes meios.

Publicado
Jan 6, 2019
##submission.howToCite##
ADAMI, Antonio; DIAS, Lucia C. M.. As Revistas de Rádio no Brasil: décadas de 1920 a 1950. Educação, Cultura e Comunicação, [S.l.], v. 10, n. 19, jan. 2019. ISSN 2177-5087. Disponível em: <http://unifatea.com.br/seer3/index.php/ECCOM/article/view/968>. Acesso em: 26 jun. 2019.
Seção
Artigos