O grafite sobreposto por publicidade: de crise de imagem institucional à oportunidade de marketing cultural

  • André Petris Gollner Faculdade Anhanguera de Taubaté e Faculdade Bíblica das Assembleias de Deus

Resumo

Talvez por desconhecer expressões artísticas pós-modernas, ou devido à falta de interesse pela arte, parte da sociedade desconhece o valor cultural do grafite. Contudo, um mural substituído pela publicidade de uma corretora de seguros causou polêmica em Taubaté, interior de São Paulo. O empresário, diante das manifestações negativas virtuais e reais e temendo prejudicar sua imagem institucional, optou por patrocinar uma nova arte de rua no local. Este estudo de caso trata do gerenciamento de crise perante uma ação de comunicação equivocada. Além disso, ilustra que o marketing cultural pode ser uma estratégia viável e que agrega valor para a pequena empresa. Em relação aos procedimentos metodológicos, esta pesquisa utiliza os métodos análise documental e entrevista em profundidade. O caso relatado neste artigo denota que o anunciante, seja de qualquer porte, precisa se atentar aos valores sociais contemporâneos e adotar estratégias de monitoramento de sua reputação perante seus públicos de interesse.

Biografia do Autor

André Petris Gollner, Faculdade Anhanguera de Taubaté e Faculdade Bíblica das Assembleias de Deus

Publicitário (Universidade Metodista de São Paulo – UMESP), pós-graduado em Marketing (Escola Superior de Propaganda e Marketing – ESPM), mestre em Comunicação (Universidade Municipal de São Caetano do Sul – USCS), cursando Formação Pedagógica em Pedagogia (Licenciatura) na Brazcubas, docente na Faculdade Anhanguera de Taubaté e Faculdade Bíblica das Assembleias de Deus (FABAD). E-mail: andre.gollner@gmail.com.

Publicado
2019-01-06
Seção
Artigos