Procedimentos para Compreensão do Espaço e da Forma por meio dos Jogos Matemáticos

Resumo

Os jogos devem ser inseridos no ensino da Matemática como forma de propiciar situações problemas possibilitando a construção de conceitos matemáticos, minimizando o ato de decorá-los. Um bom jogo deve propor desafios; permitindo que o próprio aluno descubra se sua solução está correta ou incorreta, incentivando assim a participação dos jogadores até o seu término. Os jogos são uma forma de ensinar e aprender fazendo, eles fazem com que as crianças desenvolvam o raciocínio lógico-matemático por meio das atividades. O problema que norteia a pesquisa é o desinteresse dos alunos em aprender e participar das aulas de matemática conforme o modelo tradicional.

Biografia do Autor

Neide Aparecida Arruda de Oliveira, Centro Universitário Teresa D´Ávila

GRADUADA em LETRAS Português e Inglês (1994) e em Secretária Executiva Bilíngue (1990). ESPECIALISTA em Gestão Escolar pelo Claretiano e Designer Instrucional pela Universidade Federal de Itajubá. MESTRE em Linguística Aplicada pela Universidade de Taubaté (2003). DOUTORADO em Tecnologias da Inteligência e Design Digital (2016-2019) na PUC-SP. Atualmente é professora efetiva de Língua Portuguesa da rede pública do estado de São Paulo. Também é professora nos cursos de LETRAS, PEDAGOGIA e COMUNICAÇÃO SOCIAL do Centro Universitário Teresa D´Ávila-UNIFATEA. É coordenadora do curso de Letras (2015-2020) e de pós-graduação "Docência do ensino superior Educomunicação" ; "Língua Portuguesa: Linguagem e Literatura" e "Língua Inglesa" instituído no UNIFATEA desde 2012 até 2020. Coordenadora das Unidades Curriculares Eletivas no UNIFATEA. Lançou o livro: "Diga sim ao português nas aulas de inglês" e organizou seis livros: "Comunicação sob múltiplos olhares", "Educomunicação: múltiplas formas de aprendizagem" , "Educação e Mídia: propostas para trabalhar Educomunicação" ; ?Oficinas PIBID: ambiente virtual de aprendizagem? ;Linguagem e Literatura e "Contos Fantásticos". É editora da revista científica ECCOM - Educação, Cultura e Comunicação (ISSN 21775087). Membro e presidente da Academia de Letras de Lorena, cadeira no. 8. PESQUISADORA PIBID (2014/ 2015/2016/ 2017 até 2019). Participante dos grupos de pesquisa: GEMA, do UNIFATEA e do GPTEd - Grupo de Pesquisa em Tecnologias Educacionais PUC-SP.

Marcílio Farias Silva, Centro Universitário Teresa D´Ávila

Doutor em Educação Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2017 - PUC/SP), Mestrado Profissional em Educação Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2008), Licenciatura em Matemática com habilitação em Ciências pelo Centro Universitário Salesiano (UNISAL) de Lorena-SP (1996), Licenciatura em Pedagogia Habilitação em Administração Escolar pela Universidade Iguaçu, Nova Iguaçu-Rj (2002), Curso de Pós-Graduação Lato Sensu "Informática Aplicada à Educação Matemática" pela UNISAL - Lorena-SP (1999), Curso de Especialização de Educomunicador pela ECA/USP pela SEE-SP (2002). Professor efetivo do Ensino Fundamental e Médio da SEE-SP. Professor do Ensino Superior nas disciplinas de: Estatística, Cálculo e Matemática Elementar das instituições, UNIFATEA (Lorena), FATEC (Cruzeiro) e Faculdade Canção Nova (Cachoeira Paulista). Desenvolve trabalhos e pesquisas com formação com professores de matemática e educação estatística, tem experiência em educação a distância (EAD).

Publicado
2020-02-18
Seção
Artigos