O Caso Yoki e os enquadramentos midiáticos. Coberturas noticiosas da Folha de S. Paulo e de O Globo como chaves de leitura da contemporaneidade

  • Paulo Roberto Figueira Leal Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Luiz Ademir PPGCOM/ UFJF
  • Leidiane Vieira dos Reis PPGCOM/ UFJF
Palavras-chave: Acontecimento; Caso Yoki; Jornalismo; Enquadramento; Contemporaneidade.

Resumo

O artigo traz uma análise das narrativas publicadas pelos jornais Folha de S. Paulo e O Globo, em suas edições digitais, sobre o acontecimento nomeado pela mídia como “Caso Yoki”, postadas nos dez primeiros dias do mês de junho de 2012. O caso em questão se refere ao assassinato de Marcos Matsunaga por sua esposa Elize Matsunagano dia 19 de maio de 2012. Objetiva-se identificar, por meio da Análise de Conteúdo (Bardin, 2011), os enquadramentos que prevaleceram nas notícias estudadas. Parte-se do pressuposto de que a forma como a ocorrência foi apresentada pelos sites revela traços que caracterizam a sociedade contemporânea. Pôde-se constatar, por meio da análise empreendida, que os portais enquadraram o acontecimento a partir de narrativas predominantemente descritivas, embasadas em declarações feitas por fontes institucionais, principalmente aquelas ligadas à instituição jurídica. O foco dos textos postados pelos veículos jornalísticos considerados recaiu sobre as investigações feitas sobre o caso. Nota-se a ausência de narrativas que apresentassem reflexões contextuais ou analíticas sobre o acontecimento. Essas constatações corroboram a hipótese de que a  contemporaneidade vem sendo marcada pela prevalência de lógicas narrativas  associadas às dimensões do espetáculo, do efêmero e do imediatismo.

Biografia do Autor

Luiz Ademir, PPGCOM/ UFJF

É Pós-Doutor em Comunicação Social pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Doutor (2005) e Mestre (1999) em Ciência Política (Ciência Política e Sociologia) pela Sociedade Brasileira de Instrução - SBI/IUPERJ, Mestre em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Professor Associado I do Curso de Comunicação Social - Jornalismo, em regime de Dedicação Exclusiva (DE) na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Atualmente, atua como docente, pesquisador do curso de Comunicação Social - Jornalismo, além de integrar o Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso. É professor do Corpo Permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social (PPGCOM) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Atua na orientação de 5 (cinco) pesquisas de mestrado, sendo 4 como orientador e 1 como coorientador, coorienta uma tese de doutorado, além de 5 trabalhos de iniciação científica (PIBIC/ FAPEMIG e PIBIC/CNPq/UFSJ. De 2001 a 2008, atuou como docente e pesquisador no curso de Jornalismo do Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH), onde criou e coordenou a pós-graduação lato sensu em "Comunicação e Política", em Belo Horizonte. De 2006 a 2008, atuou como docente e pesquisador do Mestrado em Comunicação Social da Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC), em Juiz de Fora. Tem experiência na área de Comunicação e Política, com ênfase em Teorias da Comunicação, Comunicação Política, Pesquisa em Comunicação, Teorias do Jornalismo, atuando, principalmente, nos seguintes temas: teorias da comunicação, campo da comunicação, processos de midiatização, representações políticas e sociais, jornalismo, análise crítica da mídia, propaganda política e eleitoral, o pensamento habermasiano, cidadania, direitos humanos.

Leidiane Vieira dos Reis, PPGCOM/ UFJF

Mestre em Comunicação Social pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora (2014). Bacharel em Jornalismo, pela Universidade Federal de Ouro Preto (2012). Desenvolveu Projeto de Pesquisa, financiado pela Fapemig, no qual empreendeu estudo sobre o enquadramento do sujeito no caderno "Gerais" do jornal "Estado de Minas". Possui trabalhos publicados na área de Jornalismo, nos quais abordou temas como acontecimento jornalístico, construção de identidades, sociedade do espetáculo, contemporaneidade e teoria da complexidade. Atualmente, se propõe a trabalhar com estudos relacionados ao segmento de Comunicação Digital, Educação e Tecnologias, abarcando áreas como: Educomunicação, Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs), Design instrucional, Mobile Learning e Gamificação.

Publicado
2020-06-30
Seção
Artigos