A regulamentação publicitária do tabaco e seus derivados no Brasil e Chile

  • Dhione Oliveira Santana Universidade Federal de Sergipe e Universidade Federal do Paraná
  • Ana Alinny Cruz Reis Universidade Federal de Sergipe
  • Raquel Marques Carriço Ferreira Universidade Federal de Sergipe

Resumo

O tabaco é uma das maiores epidemias do mundo, responsável pela morte de milhões de pessoas todos os anos. O presente texto tem o objetivo de analisar como a regulamentação publicitária do tabaco e seus derivados se desenvolveu no Brasil e no Chile, e quais seus resultados sobre consumo nas populações. Em um primeiro momento, apresentamos os dados relativos ao tabaco na sua principal apresentação como cigarro e saúde pública, para depois adentrarmos ao estudo sobre a legislação da propaganda dos derivados do tabaco em ambos os países. Por fim, verificamos que dado a regulamentação tardia do Chile sobre o assunto, o país enfrenta ainda sérios problemas de saúde pública associados ao fumo e o adoecimento da população, enquanto o Brasil conquista avanços valiosos na diminuição do consumo do tabaco, principalmente na forma do cigarro.

Biografia do Autor

Dhione Oliveira Santana, Universidade Federal de Sergipe e Universidade Federal do Paraná

Mestrando em Comunicação e Sociedade pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Sergipe. Possui graduação em Com. Social Bach. em Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal de Sergipe (2014). Graduando em Administração de Empresas. Atualmente é membro do grupo de pesquisa Recepcom da Universidade Federal de Sergipe e membro do grupo de pesquisa Eccos - da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área da Comunicação e Administração, com ênfase em Comunicação de Marketing, atuando principalmente no estudo dos seguintes temas:história da publicidade, produção acadêmica; auto/regulamentação e controle da propaganda; criação, registro e gerenciamento de marcas; análise visual; produção e recepção da mensagem publicitária, propriedade intelectual e comunicação e saúde.

Ana Alinny Cruz Reis, Universidade Federal de Sergipe

Mestre em Comunicação e Sociedade pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Sergipe (2018), com formação em Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal de Sergipe (2015), pesquisadora em Comunicação e nos Estudos Culturais, com ênfase das seguintes temáticas: Identidade, Representação e Gênero, com foco na Produção Publicitária.

Raquel Marques Carriço Ferreira, Universidade Federal de Sergipe

Professora Associada da Universidade Federal de Sergipe, com atuação no curso de Publicidade e Propaganda e no Programa de Pós-graduação em Comunicação. Publicitária, mestre pela Universidade Metodista de São Paulo (2003), doutora pela Universidade Nova de Lisboa (2011), obteve seu título de pós-doutorado pelo ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa (2017). Tem experiência na área de Sociologia Aplicada, atuando com os temas das Teorias da Comunicação, Estudos da Audiência e Recepção, Ética e Legislação Publicitária, Comunicação Integrada, Comunicação e Saúde. Seu campo de estudo está circunscrito na dinâmica de interação do indivíduo com os meios de comunicação ou outro contexto social mediado por plataformas comunicacionais, conformando o nexo da produção das mensagens e seu consumo.

Publicado
2019-07-08
Seção
Artigos