O processo de comunicação nas culturas participativas ou audiências criativas

a participação em midiatização

  • Tarcízio Macedo Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Palavras-chave: Cultura participativa, Midiatização, Experiência, Temporalidade, Circulação

Resumo

Este artigo procura discutir o papel do fluxo comunicacional nas dinâmicas das culturas participativas ou audiências criativas, em que a midiatização se coloca como principal mediação dos mais variados processos sociais, inclusive da cultura da convergência. Objetiva-se compreender uma das consequências mais relevantes que a emergência e o aumento do processo de midiatização apresenta na sociedade contemporânea, bem como as alterações que provoca na dinâmica da circulação e do fluxo comunicacional, observando a possível interpretação dos receptores de produtos midiáticos no contexto da cultura de fãs. Seguindo as pistas deixadas por alguns autores, desenvolve-se um esquema representacional do processo comunicativo na participação em midiatização na tentativa de auxiliar pesquisadores a identificarem as formas das culturas participativas. O intento deste esquema proposto é pensar no processo de comunicação nas culturas participativas ou audiências criativas, cujo objetivo é atuar contra a dispersão nos estudos de fãs e na identificação da rede de negociações e significações que diferentes culturas participativas articulam.

Biografia do Autor

Tarcízio Macedo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutorando em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGCom/UFRGS), com bolsa CAPES. Mestre em Comunicação, Cultura e Amazônia pela Universidade Federal do Pará (UFPA), com período sanduíche no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia (PósCom/UFBA) e no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Jogos Digitais Comunidades Virtuais da Universidade do Estado da Bahia (CV/UNEB). Especialista em Comunicação Científica na Amazônia pelo Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (Naea) da UFPA. Membro da Rede Nacional de Pesquisa em Jogo e Comunicação - Metagame e do Grupo de Pesquisa em Games da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom). Atua ainda como pesquisador do Laboratório de Artefatos Digitais (LAD/UFRGS/CNPq), do Laboratório de Pesquisa Midiática na Amazônia (UFPA/CNPq) e dos grupos de pesquisa Interações e Tecnologias na Amazônia (ITA/UFPA/Unama/CNPq), Comunicação, Consumo e Identidade (Consia/UFPA/Unama/CNPq) e Inovação e Convergência na Comunicação (InovaCom/UFPA/CNPq).

Publicado
2020-02-17
Seção
Artigos