FAMA E ZEITGEIST

COMO O YOUTUBE TRADUZ O ESPÍRITO CONTEMPORÂNEO

  • Amanda Meschiatti Vasconcellos UFES
  • Daniela Zanetti UFES
Palavras-chave: Cultura da fama, YouTube, Webcelebridades

Resumo

Este artigo sintetiza os resultados de uma pesquisa mais ampla realizada sobre o tema da cultura da fama e dos processos de celebritização inerentes ao YouTube. O objetivo deste artigo em específico é o de diagnosticar os hábitos de consumo dos usuários brasileiros do site, seus interesses coletivos, gostos, os grandes temas que procuram, assistem e compartilham, e, principalmente, o que está por trás disso, elaborando assim um exame de nossa sociedade e época. Para isso, lançamos mão de dois métodos: o primeiro, uma análise quali-quantitativa dos vídeos posicionados no ranking Em Alta da plataforma, dissecando os 50 vídeos mais assistidos e compartilhados do país diariamente durante o período de um mês (entre setembro e outubro de 2017) e com isso mapeando os principais temas, categorias e formatos em evidência; o segundo, um survey on-line realizado com grupos de fãs dos youtubers Kéfera Buchmann e Whindersson Nunes entre os meses de maio e novembro de 2017. O questionário continha 29 perguntas (fechadas e abertas) que foram respondidas por um grupo amostral de 119 fãs. Com esse survey, a intenção era compreender como o espectador encara e participa do fenômeno youtuber. Os resultados obtidos apontam para uma atmosfera social que enxerga na visibilidade midiática e, mais precisamente, na fama, uma validação da existência e uma fuga da solidão, com ênfase no êxito das relações parassociais; o que remonta a dualidade comunitário-massivo explorada pelo próprio YouTube ao se equilibrar entre suas duas polaridades: a de rede social e a de indústria midiática.

Biografia do Autor

Amanda Meschiatti Vasconcellos, UFES

Mestre em Comunicação e Territorialidades pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), graduada em Comunicação Social - Jornalismo (UFES). Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (FAPES). 

Daniela Zanetti, UFES

Professora do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e coordenadora do grupo de pesquisas em Cultura Audiovisual e Tecnologia (CAT). Doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Publicado
2020-02-17
Seção
Artigos